As exportações do agronegócio mineiro alcançam US$ 1,75 bilhão no primeiro trimestre do ano (janeiro até março) e registram crescimento de 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Dentre esse número, as carnes (bovina, frango e suína) corresponderam a 11,2%, um total de US$ 196 milhões.

Em relação ao saldo da balança comercial, que é a diferença entre o valor das exportações e importações, o agronegócio contribuiu com 44%, evidenciando a importância do setor para a economia mineira. A informação é da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA) com base em dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

No que se refere à exportação de carnes (bovina, frango e suína), o faturamento registrado foi de US$ 196 milhões, um percentual de 11,2% de todas as exportações, praticamente o mesmo valor alcançado em relação ao primeiro trimestre de 2018. O café registou US$ 995milhões (56,9%), os produtos florestais (Celulose, madeira e papel) somaram US$ 204 milhões (11,7%), a soja registrou US$ 146 milhões (8,4%) e o complexo sucroalcooleiro US$ 112 milhões (6,4%).

Pela primeira vez, esse primeiro trimestre registrou a comercialização de produtos como milho doce, filés de peixe e pimentões vermelhos. A importância dessas novas negociações foram analisadas pelo vice-presidente do CRMV-MG e subsecretário de Política e Economia Agrícola da SEAPA, dr. João Ricardo Albanez, “É muito importante a inserção de novos produtos na pauta das exportações, uma vez que 95% da receita gerada vêm do café, complexo soja, produtos florestais, carnes e complexo sucroalcooleiro”, destaca.

Os produtos do agronegócio mineiro foram enviados para 144 países. Os principais importadores, no primeiro trimestre, foram China (16,5%), Estados Unidos (12,8%), Alemanha (11,7%), Japão (8,1%) e Itália (7,9%).

Com informações da SEAPA-MG