O Governo do Estado de Minas Gerais decretou, nesta sexta-feira (20), calamidade pública em função do Coronavírus. Com isso, tem-se uma estadualização de ações, com medidas valendo igualmente para todos os municípios mineiros.

Com o decreto, fica proibido o funcionamento do comércio em todas as cidades mineiras. A exceção são os estabelecimentos que vendem produtos ou prestam serviços essenciais.

Por tratarem-se de serviços de saúde, os estabelecimentos médico-veterinários (consultórios, clínicas e hospitais veterinários) estão autorizados a funcionar. Da mesma forma, os comércios de alimentos e medicamentos veterinários também podem manter-se abertos. Nesses casos, devem ser observadas as medidas de restrição e controle de público e clientes, bem como adoção das demais medidas estabelecidas pelas autoridades de saúde de prevenção ao contágio e contenção da propagação de infecção viral relativa ao COVID-19.

O CRMV-MG recomenda aos profissionais da Medicina Veterinária, considerando a gravidade da situação, que realizem apenas atendimentos por agendamento, evitando as consultas eletivas, atendendo somente casos que o adiamento comprometa a saúde e o bem-estar animal ou a saúde pública.

Ainda assim, apesar da permissão para funcionar, é de fundamental importância que os consultórios, clínicas e hospitais veterinários adotem as medidas estabelecidas pelas autoridades de saúde para prevenção ao contágio e contenção da propagação de infecção viral relativa ao Covid-19.

Medidas recomendadas no âmbito das clínicas veterinárias

  1. Atendimento feito com a presença de apenas um único tutor;

  2. Desestimular a visita de tutores aos animais internados;

  3. Reprogramação de serviços que não são de urgência e emergência;

  4. Higienização dos ambientes a cada atendimento (limpar principalmente o mobiliário e os utensílios que tiveram contato direto com o animal ou com o tutor);

  5. Utilização de água sanitária ou amônia quaternária para desinfecção do ambiente, além do álcool 70% para uso no atendimento;

  6. Higiene pessoal do profissional: lavar as mãos e os antebraços com água corrente e sabão, antes e após os atendimentos. A OMS recomenda o uso de máscaras somente para pessoas com sintomas. Nas cirurgias, manter o processo padrão de assepsia.

O CRMV-MG segue atento às atualizações e recomendações das autoridades no intuito de contribuir para a informação dos profissionais e a contenção da Covid-19.

Belo Horizonte, 21 de março de 2020.