Na semana em que se comemora o dia do médico-veterinário, o CRMV-MG traz uma série de depoimentos de profissionais que se destacam pelo seu trabalho na saúde pública. Através de suas redes socais, Youtube, Instagram e Facebook, o Conselho divulga a importância do profissional para a saúde da população.

Buscando ouvir profissionais que são especialistas no conceito de saúde única, o CRMV-MG utiliza de exemplo o relato desses profissionais para divulgação da sua campanha: A sua saúde passa pelas mãos do médico-veterinário. Os médicos veterinários citam como é a relação desse tema com a sua devida área de atuação.

 A Dra. Ana Liz Bastos comenta sobre a atuação do médico-veterinário na medicina veterinária do coletivo, área nova que tenta ser reconhecida como especialidade. A profissional é mestre em Zootecnia pela UFMG e doutora em ciência animal na área de Epidemiologia pela UFOP e foi Coordenadora Técnica da Vigilância Ambiental em Saúde da Prefeitura Municipal de Itabirito, onde implantou o Centro de Controle Animal e estratégias de manejo populacional de cães e gatos.

 “A Medicina Veterinária do coletivo, é uma área que abrange saúde coletiva, medicina de abrigo, Medicina Veterinária Legal. O maior objetivo dessa categoria é promover a saúde dos indivíduos, famílias, comunidade em geral, levando em consideração o animal e o ambiente. Ou seja o maior objetivo da veterinário do coletivo é promover a saúde única.” Comenta a Dra. Ana Liz.

Voltada para a atuação do médico-veterinário na saúde pública, a Dra. Maria Helena Franco Morais tem ampla experiência no ramo. A profissional é mestre em Epidemiologia e doutora em Ciências, com ênfase em Epidemiologia pela UFMG. Atualmente trabalha com vigilância epidemiológica em Secretarias Municipais de Saúde de Contagem e Belo Horizonte. Ela passa uma visão da saúde única em sua área de atuação: “Na área de vigilância e controle zoonose, e doenças transmitidas por vetores, cujo objetivo primária é a prevenção e controle de doença em humanos... Vejo a responsabilidade do médico-veterinário além da garantia da saúde humana, mas também animal e do meio ambiente”.

Na área de pesquisas é ouvido o Dr. André Penido Oliveira. O profissional possui mestrado e doutorado em Ciência Animal pela UFMG. Atualmente é pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG). Ele comenta o estudo sobre o afago de novilhas em pré-parto e como esse experimento possibilitou o aumento da produção, proporcionou bem-estar animal e impactou as relações de trabalho: “Os animais eram escovados no ambiente de ordenha, isso teve resultados positivos. Observamos um aumento de quase 100% na produção de leite das ovelhas que foram afagadas. Além disso a qualidade do leite desses animais, foi bastante superior em relação as novilhas que não foram tratadas, o que significa um impacto na saúde humana devido a um leite bem tratado.

Clique nos links abaixo e assista ao vídeo produzido pelo CRMV-MG para a valorização dos profissionais:

Facebook: Clique aqui

Instagram: Clique aqui

Youtube: Clique aqui