Mesmo em meio à pandemia do novo Coronavírus, os trabalhos de fiscalização do CRMV-MG seguem intensos. Foram realizadas ações em Castramóveis de municípios como Araguari, Contagem, Itabirito, Itaúna, Santa Luzia, Sete Lagoas e Três Corações.

"Nas localidades em que foram constatadas irregularidades ou pendências de documentos e equipamentos necessários, o Conselho não autorizou a realização dos programas, e as adequações seguem em análise", detalhou a chefe do setor de Fiscalizaçao do CRMV-MG, dra. Rafaela Luns.

Para que possam estar aptos para funcionar, os projetos de castração devem, obrigatoriamente, serem aprovados pelo CRMV-MG, conforme determina a Resolução CRMV-MG nº 367/2019. Clique no link a seguir e saiba mais sobre os procedimentos a serem tomados para a aprovação de um projeto de castração junto ao Conselho: Clique aqui.

 O principal objetivo do Conselho é de proteger os profissionais e promover o bem-estar animal. Quando médicos-veterinários executam este tipo de projeto sem o aval do CRMV-MG, colocam em risco não apenas os pets, como também a população em geral, já que toda aglomeração de animais, sem os devidos procedimentos de precaução, pode trazer como consequência a transmissão de algum tipo de zoonose.

Os médicos-veterinários responsáveis por realizarem projetos irregulares (não aprovados pelo Conselho), estão sujeitos a penalidades, que de acordo com o caso, podem variar de uma simples advertência à suspensão do exercício profissional, além de multa.