Em atenção às dúvidas que vêm sendo recebidas pelo CRMV-MG, partindo de profissionais e empresários inscritos no Conselho, preparamos um resumo sobre o que pode ou não funcionar nesse período de pandemia devido à Covid-19, no que se refere aos estabelecimentos veterinários, em Minas Gerais.

 

Para uma melhor compreensão, dividiu-se em grupos de municípios com e sem restrição de funcionamento.  Mesmo onde há restrição, os serviços veterinários estão permitidos por serem voltados para saúde.


 

Ou seja, mesmo nos municípios em que há restrição, por tratarem-se de serviços de saúde, os estabelecimentos médico-veterinários (consultórios, clínicas e hospitais veterinários) estão autorizados a funcionar. Da mesma forma, os comércios de alimentos e medicamentos veterinários também podem manter-se abertos. Está autorizada, ainda, a realização de banhos terapêuticos, com foco na saúde animal. Por outro lado, estão temporariamente suspensos os serviços de estética (banho e tosa).

 

Nos casos em que há autorização para prestação do serviço, o responsável técnico pelos estabelecimentos deve adotar as medidas recomendadas pelas autoridades de saúde, tais como restrição e controle de público e clientes, atendimento com hora marcada, higienização dos ambientes e higiene pessoal. Também se sugere que seja feita uma triagem no ato do agendamento, buscando informações sobre as condições de saúde do tutor, a fim de serem identificados sintomas indicativos de Covid-19.

 

O CRMV-MG ressalta que não há uma estadualização de ações em Minas Gerais e que exceções podem ocorrer, a depender da realidade local.

 

O Conselho de Minas segue atento às atualizações e recomendações das autoridades no intuito de contribuir para a informação dos profissionais e a contenção da Covid-19.

 

Belo Horizonte, 29 de junho de 2020.